Emocionante! Explore o interior da Grande Muralha da China, através de animação 3D

Por: Renato Drummond Tapioca Neto

Atualmente considerada uma das maravilha do mundo, a Grande Muralha da China é uma fortaleza que percorre a parte norte do país de um extremo ao outro: da passagem de Jiayuguan (no oeste), passando pelas montanhas de Hushan, na Província de Liaoning, e terminando no Golfo de Bohai (leste), fazendo assim um percurso de 21.196 km. Sua construção teve início durante o governo do imperador Shi Huangti, da Dinastia Qin (221-206 a.C.), sendo complementada ao longo de centena de anos, através dos reinados subsequentes. A fisionomia da Grande Muralha, conforme a conhecemos hoje, deveu-se muito ao trabalho da Dinastia Ming (1368-1664 a.C.), que adicionou as torres de observação e aumentou a largura de suas paredes. Após um período de decadência, o monumento passou por um intenso processo de restauração, a partir dos anos 1980, sendo declarado Patrimônio da Humanidade pela UNESCO apenas em 1987. Uma animação em 3D, desenvolvida pelo Animation Channel, convida o observador a percorrer a extensão da grande muralha, desvendando os segredos do seu interior. Confira:

A princípio, a construção de um monumento como a Grande Muralha tinha por finalidade consolidar a vitória do imperador Shi Huangti sob seus inimigos. Para demonstrar que a China então possuía um governo unificado, o monarca ordenou que uma fortaleza de proporções colossais fosse erguida na fronteira norte, para impedir o avanço dos exércitos mongóis. Contudo, como o imperador não era muito querido pelo povo, por se preocupar mais com a suposta imagem de glória do seu reinado em vez de com o bem estar dos súditos, a ideia de uma Grande Muralha percorrendo o território chinês só viria a se tornar bem vista durante o governo da Dinastia Qin, quando a construção foi elevada à categoria de símbolo nacionalista, embora também fosse um local para onde as pessoas eram enviadas para trabalhar forçadamente até a morte do seu soberano. A atual Muralha, cuja imagem é tão conhecida por nós, é bem diferente da que foi construída por Shi Huangti.

Com efeito, durante o governo do sucessor de Shi Huangti, Liu-Bang, da Dinastia Han, a muralha foi utilizada como um importante posto comercial da Rota da Seda, que ligava a China à Europa. Cada Dinastia deu sua contribuição para a construção do monumento. Durante o reinado dos Ming, a muralha passou por profundas alterações: cerca de 25 mil torres de vigia foram erguidas, com altura variante de 5 a 8 metros. Além de aumentar os muros do monumento, a Dinastia Ming ordenou o enlarguecimento da Muralha até o centro agrário da Província de Liaoning. Atualmente, são feitos muitos esforços para conservar a estrutura, especialmente por causa dos danos que a Muralha sofreu após a queda da Dinastia Ming. Segundo estimativas, existe apenas 372 km de parede em condições estáveis. As demais partes estão lentamente desmoronando. Em 1987, a UNESCO a reconheceu como Patrimônio da Humanidade e, desde então, a preocupação com a preservação do monumento tem aumentado cada vez mais.

Existem vários equívocos modernos sobre a Grande Muralha da China. O mais conhecido deles é o de que seria a única estrutura humana na Terra que pode ser vista a partir do espaço. Isso não é verdade. A origem desta afirmação provém do ensaísta inglês Sir Henry Norman, que escreveu em 1895 que o muro era “o único trabalho de mãos humanas no globo, visível na lua”. Sua observação baseou-se no fato de que as pessoas na Terra podiam ver crateras e canais na lua, e assim alguém na lua seria capaz de ver algo tão longo e maciço quanto a Grande Muralha da China na Terra. Muitas pessoas parecem acreditar que essa afirmação é baseada em relatos de primeira mão de astronautas e/ou por causa do trabalho de cientistas e astrônomos. Todavia, estudantes e cientistas modernos, bem como aqueles que viajaram para a lua, desmentiram essa afirmação repetidamente.

Outra falácia sobre a Grande Muralha é a de que foi uma das sete maravilhas do mundo antigo, que sua construção começou na Dinastia Qin, em 221 a.C, e que ela foi erguida como símbolo do orgulho nacional. As duas últimas afirmações são claramente falsas, assim como a primeira. As Sete Maravilhas do Mundo Antigo estavam todas localizadas na região mediterrânea da Grécia, Egito e Turquia. A Grande Muralha é, porém, considerada como uma das sete Maravilhas do Mundo Moderno, segundo deliberação da New 7 Wonders Foundation em 2007 CE. A Grande Muralha é visitada atualmente por mais de quatro milhões de pessoas por ano, e mesmo que não possa ser vista da lua, está entre as estruturas humanas mais reconhecidas do mundo.

Fonte: MARK, Emily. Great Wall of China. – Acesso em 23 de agosto de 2017.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s