Download da matéria “O Rei e Nós”, publicada pela edição 2034 da Revista Veja!

Por: Renato Drummond Tapioca Neto

Na madrugada de 17 de novembro de 1889, a família imperial era expulsa do Brasil por ordem do recém-instaurado governo republicano. Com sua partida, findava-se um período relevante da nossa história, marcada por grande desenvolvimento econômico e cultural, assim como pela escravidão. A monarquia brasileira deixou para nós o legado de grandes personalidades, como é o caso de José Bonifácio, D. Pedro I e Dona Leopoldina. Dos quatro filhos do jovem casal de imperadores, nenhum foi tão importante quanto D. Pedro II, um homem que, apesar de ser filho de pai português e mãe austríaca, era um legítimo brasileiro, de corpo e alma. Quando ele subiu ao trono, em 1840, aos 14 anos, seu reino era um país atrasado em todas as esferas do poder. Quase 50 anos depois, já estávamos acompanhado a marcha do desenvolvimento em paralelo com as principais potências europeias. Contudo, a coroa era um fardo que este imperador dos trópicos jamais desejou. Certa vez, ele disse que preferia ser “professor ou presidente da república”. Apesar de ser um representante do regime monárquico, Pedro II nutria todos os ideias republicanos, conforme podemos observar na matéria “Coração de Presidente”, publicada pela edição nº 2.034 da revista VEJA.

Capa da edição n° 2.034 da revista Veja, publicada em 14 de novembro de 2007.

Capa da edição n° 2.034 da revista Veja, publicada em 14 de novembro de 2007.

O texto da matéria, intitulada “O Rei e Nós, é da autoria de Vilma Gryzinski, e contempla 10 páginas ricamente ilustradas. O estilo de escrita de Gryzinski, porém, não é o que podemos chamar de “histórico”. Antes, ela escreve como uma jornalista, de forma direta e sem muitos rodeios. Na reportagem, ela expõe os meandros da política do Brasil Imperial, concentrada na figura de D. Pedro II, um monarca ilustrado. Como referência, a autora usa a obra de José Murilo de Carvalho, “D. Pedro II” (2007), para explicar que “apesar da índole tolerante e da inclinação republicana, o imperador, pelo menos em seu apogeu, exercia suas funções com plena segurança de que fazia o melhor para o país” (p. 113). Segundo Gryzinski, é possível que o próprio republicanismo de Pedro tivesse sido um fator de contribuição para a sua aceitação ao golpe de 15 de novembro de 1889. Por fim, a jornalista faz um breve levantamento de outras casas reais que perderam o poder numa época próxima à da dinastia brasileira, como os Romanov, por exemplo. Abaixo, você pode fazer o download das páginas da matéria “Coração de Presidente” em boa qualidade. O material é um pouco raro de se encontrar hoje em dia e acreditamos que seja de grande utilidade para pesquisas posteriores. Aproveitem!

Capa

Capa

Pág. 108

Pág. 108

Pág. 109

Pág. 109

Pág. 110

Pág. 110

Pág. 111

Pág. 111

Pág. 112

Pág. 112

Pág. 113

Pág. 113

Pág. 114

Pág. 114

Pág. 116

Pág. 116

Pág. 118

Pág. 118

Pág. 119

Pág. 119

Anúncios

Um comentário sobre “Download da matéria “O Rei e Nós”, publicada pela edição 2034 da Revista Veja!

  1. Escrevi uma crônica intitulada “O Imperador Brasileiro”, que foi enviada para o blog de meu irmão em Montreal, na América do Norte. O assunto era a visita de Dom Pedro II ao Canadá em 1876. Foi um grande sucesso.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s