Histórias não (ou mal) contadas: Rodrigo Trespach fala sobre a imperatriz Leopoldina e a imigração alemã no Brasil!

Por: Renato Drummond T. Neto “Caro Schäffer, […] Mande mais 3.000 homens, todos solteiros e moços, sem descontar o número que lhe escrevi de outra vez”. Assim escreveu a imperatriz Dona Leopoldina em 12 de julho de 1824 ao seu credor, Georg Anton von Schäefer, acerca da vinda de imigrantes alemães para o Brasil. A…

Leopoldina e Pedro I: Sonia Sant’Anna fala sobre a vida dos primeiros imperadores do Brasil!

Por: Renato Drummond T. Neto O período imperial da história do Brasil é marcado por fatos e personalidades que ainda hoje despertam grande interesse pelo público, aguçado nos últimos tempos principalmente pelo lançamentos de novas biografias, romances, novelas e peças de teatro. À medida em que nos aproximamos do aniversário de 200 anos da Independência,…

Rainhas de Portugal: Isabel Stilwell fala sobre a vida das mulheres que moldaram o destino da Europa!

Por: Renato Drummond Tapioca Neto A história de Portugal foi traçada, ao longo dos séculos, pela pena corajosa de mulheres que deixaram sua marca no destino e na memória do país. Personalidades que contribuíram para a modernização da monarquia portuguesa, incentivando a educação, a cultura e as artes, além de desempenharem um papel importante nas…

Dona Maria I

D. Maria I: a louca? – Mary Del Priore desconstrói o mito da soberana insana de Portugal em nova biografia!

Por: Renato Drummond T. Neto Uma das personagens mais irreverentes da história de Portugal e do Brasil, Dona Maria I permanece como uma figura bastante controversa na historiografia de ambos os países. Conhecida por epítetos pouco lisonjeiros como “a viradeira” e “a rainha louca”, suas atitudes enquanto soberana permanecem obscurecidas por uma série de más…

O vício é masculino: virilidade e prostituição no Segundo Reinado (1850-1870)

Por: Renato Drummond Tapioca Neto O seguinte texto busca compreender o papel da prostituição na construção do masculino, problematizando a figura do cliente como principal responsável pela manutenção e propagação do meretrício no Brasil, durante a segunda metade do século XIX. A despeito do discurso moralista, que responsabiliza a mulher pelo que Michel Foucault classifica…