Tesouros da antiguidade: lugares e mistérios que ainda fascinam o mundo!

Por: Renato Drummond Tapioca Neto

O alvorecer da civilização trouxe consigo, além do processo de hierarquização da sociedade, o refinamento dos meios e das técnicas de produção. Graças aos estudos da Arqueologia, Antropologia, História, entre outras ciências, foi possível abrir uma (ou muitas) janela para o passado e redescobrir um universo fascinante, que ainda faz brilhar os nossos olhos. Da magnífica cidade de Petra, inteiramente esculpida sobre a rocha, aos belíssimos mosaicos gregos em Zeugma, na Turquia, a humanidade deixou para trás vestígios de sua cultura, práticas, costumes e religiosidade. Hoje em dia, tais locais e objetos nos permitem vislumbrar um passado que resistiu às areias do tempo, para nos contar a história dos muitos povos que habitaram em diversos pontos do planeta. Mesmo os destroços de uma carroça antiga, os remanescentes de uma loção corporal de quase dois milênios, o crânio de uma garotinha coroada com flores de cerâmica, ou os sapatos de couro que um dia calçaram os pés de uma criança. possuem uma história quase inacreditável. Nessa matéria, selecionamos 15 objetos e lugares, cercados de mistérios, que ainda aguçam a nossa mente sobre os tesouros da Idade Antiga.

1)Tronos de mármore

Tronos de mármore, também conhecidos como prohedria, esculpidos no antigo Teatro de Oropos (no atual sítio arqueológico de Amphiareion), na Ática, Grécia. Tais assentos eram reservados apenas a convidados de honra e, depois de descobertos, foram dispostos ao redor da área da orquestra. Os demais frequentadores, por sua vez, se acomodavam em arquibancadas de madeira com suportes de pedra. Construído por volta do século II a.C., o Teatro tinha capacidade para 300 espectadores e possuía um palco (com estrutura de 12 m de largura) que ainda se encontra bem preservado, oferecendo assim detalhes importantíssimos sobre a arquitetura dórica, tais como os tronos de mármore da foto em destaque.

2) Flores para uma garotinha

Crânio de uma garota sepultada no período helenístico, entre 300 e 400 a.C. Chama atenção a coroa de flores de murta, confeccionada em cerâmica, que sobreviveu à ação do tempo com suas cores originais praticamente intactas. A evidência arqueológica demonstra o zelo com que as famílias do período tratavam seus mortos, mesmo entre as castas mais baixas da sociedade. Atualmente, o crânio da menina coroada com flores se encontra exposto no Museu Arqueológico de Patras, na Grécia.

3) Trono da rainha Eurydice

O inigualável trono da rainha Eurydice I da Macedônia, avó paterna de Alexandre, o Grande, encontrado em um túmulo macedônio de câmara dupla, em Aigai. A peça, datada de 340 a.C., é esculpida em mármore com decorações entalhadas em dourado, que narram o mito de Plutão e Perséfone, além de conter flores, animais e “korai” (tipologia de esculturas femininas que remontam ao período da Grécia Arcaica). Eurydice foi esposa do rei Amyntas III e mãe de quatro filhos, incluindo o rei Felipe II, pai de Alexandre, o Grande. As evidências históricas indicam que ela desempenhou um papel muito importante na política do período, sedo considerada a primeira mulher de que se tem conhecimento a exercer poder no antigo reino da Macedônia. Atualmente, seu trono se encontra no sítio arqueológico de Aigai, em Vergina, na Grécia.

4) Biblioteca de Celso

Ruínas da Biblioteca de Celso, construída por volta do ano de 135 d.C., na antiga cidade grega de Éfeso (na Turquia) em homenagem ao senador romano Tibério Júlio Celso Polemeano. O prédio foi praticamente destruído por um terremoto ocorrido em 262, mas as pedras de sua fachada permaneceram quase intactas, o que permitiu sua reconstrução entre as décadas de 1960 e 1970.

5) Joias

Brincos de ouro maciço, decorados com Lápis Lazúli, oriundos da Grécia Antiga, confeccionados por volta do ano 400-300 a.C. Atualmente no acervo da Apollo Galleries, casa de Leilões com base em Londres.

6) Petra, patrimônio da humanidade

A magnificência de Petra, cidadela estabelecida no atual território da Jordânia. Também conhecida como “cidade rosa”, devido à cor do mineral em que foi entalhada, Petra foi inteiramente esculpida sobre a rocha. Possivelmente fundada a partir do ano de 312 a.C. pelos Nabateus, antigo povo de origem semita (embora a região já fosse ocupada desde 1200 a.C pela tribo dos edomitas), o conjunto arquitetônico era uma importante rota de passagem para caravanas árabes. Entretanto, a cidade de pedra permaneceu quase desconhecida pelo mundo ocidental, até que suas ruínas foram redescobertas em 1812 por Johann Ludwig Burckhardt. Atualmente, Petra é considerada patrimônio da humanidade pela UNESCO e uma das sete maravilhas do mundo moderno.

7) Mosaicos de 2 milênios

Chão de mosaicos gregos, com aproximadamente 2.200 anos, encontrado na cidade de Zeugma, uma antiga província grega na Turquia, perto da fronteira com a Síria. O pavimento pertencia a uma antiga habitação, erguida à beira do rei Eufrates. Com o rebaixamento solo ao longo das eras, os mosaicos atualmente só podem ser apreciados quando as águas do rio estão em maré baixa. O descobrimento da obra de notória beleza foi de grande relevância para os estudos da arte greco-romana. As representações estão em tal estado de preservação, que pouco aparentam ter mais de 2 milênios de história.

8) Cenas da cidade de Zeugma

Mosaico grego de 2.200 anos, encontrado por um time internacional de arqueólogos na região da cidade de Zeugma, uma antiga província grega na Turquia, perto da fronteira com a Síria. O descobrimento da obra de notória beleza foi de grande relevância para os estudos da arte greco-romana. As representações estão em tal estado de preservação, que pouco aparentam ter mais de 2 milênios de história. De acordo com o professor Kutalmış Görkay, que lidera o time de arqueólogos por trás da descoberta, os mosaicos coloridos eram parte integrante das casas da cidade antiga.

9) Creme facial de mais antigo do mundo

Loção/creme facial mais antiga do mundo (já descoberta), contendo as marcas dos dedos da última pessoa que a usou há cerca de 2000 anos, quando Roma era a maior civilização do mundo conhecido. O objeto foi encontrado nas escavações do Complexo do Templo dedicado a Marte e seu conteúdo, levando-se em consideração a idade, ainda se encontra em impressionante estado de conservação. Segundo análise laboratorial, a fórmula era composta de gordura animal proveniente de ovelhas, amido (que foi isolado possivelmente pela fervura dos grãos e raízes em águas), além de mineral de dióxido de estanho, conhecido também como cassiterita, cuja fórmula é SnO2.

10) Sapatos infantis

Par de sapatos infantis, que remontam ao período do Antigo Império Romano, encontrados em Palmyra, na Síria.

11) Carruagem traciana

Carruagem traciana com mais de 2000 anos, encontrada em 2008 num sítio arqueológico na vila de Karanovo, na Bulgária, com os esqueletos dos cavalos ainda atrelados aos remanescentes do veículo.

12) Rede de ouro para cabelos

Espécie de rede ou touca para cabelos, composta em ouro filigranado, datada de 200-150 a.C. A peça, que remonta ao período helenístico, apresenta ao topo um medalhão com a figura de uma bacante entalhada em alto relevo. Na mitologia, as bacantes representavam as seguidoras do deus Dioniso. Na joia, ela usa brincos em formato de espiral, uma coroa de folhas de videira e seu busto aparece envolto em pele de pantera. O objeto, que hoje faz parte do acervo do Metropolitan Museum of Art, é um excelente exemplo da arte da ourivesaria no período greco-romano

13) A cabeça da deusa

Novas escavações realizadas na antiga cidade grega de Aizanoi, no oeste da Península de Anatólia (região localizada na atual Turquia, no distrito de Çavdarhisar, nas proximidades da Kütahya), encontraram estátuas do deus do vinho e das festas, Dioniso, e da deusa do amor e da beleza, Afrodite. Em agosto desse mesmo ano, a equipe da Universidade Dumlupinar já havia anunciado a descoberta de uma estátua em tamanho natural de Hygieia, deusa da saúde, com uma serpente em seus braços. Nas imagens abaixo, o arqueólogo desenterra a cabeça de Afrodite.

14) A  porta de Ishtar

A belíssima porta de Ishtar. Construída em 575 a.C., era o oitavo portal interno da cidade da Babilônia. Atualmente, se encontra preservada no Museu de Pergamón, em Berlim.

15) Carroça de 4.000 anos

Uma das carroças bem preservadas do mundo, com cerca de 4.000 anos de idade, desenterrada na vila de Lchashen, nas proximidades do Lago Sevan. Fabricada em carvalho, a carroça é o modelo mais antigo conhecido desse tipo de transporte. Atualmente, se encontra em exibição no Museu de História da Armênia.

Um comentário sobre “Tesouros da antiguidade: lugares e mistérios que ainda fascinam o mundo!

  1. Meu Deus gostaria muito de ver estás obras divinas apo vivo mas obrigado por nós proporcionar tamanha felicidades mesmo que em fotos ,estou maravilhada

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s