Incrível: rosto do rei Henrique VII da Inglaterra é reconstruído com detalhes impressionantes!

Em 21 de abril de 1509, falecia o rei Henrique VII da Inglaterra, primeiro monarca da dinastia Tudor. Após tomar a coroa de Ricardo III no campo da Batalha de Bosworth, o nobre de ascendência galesa, derradeiro representante da casa de Lancaster, pôs fim ao conflito que ficou conhecido como Guerra das Duas Rosas. De seu casamento com a rainha Isabel de York nasceram Arthur, príncipe de Gales, Margareth, que se tornou rainha da Escócia (avó de Mary Stuart), o rei Henrique VIII e a princesa Mary Rose, que foi rainha da França e duquesa de Suffolk. Henrique VII, entretanto, reinou num momento bastante complicado da história inglesa. O país acabava de sair de um conflito fratricida, com o Tesouro Real bastante deteriorado. No seu governo de aproximadamente 25 anos (de 1485 a 1509), o novo rei reequilibrou as finanças e recuperou a estima do Estado. Tendo falecido na idade de 52, o rosto sem vida do monarca serviu de molde para a criação de sua máscara funerária. 511 anos depois, um modelo em 3D feito a partir dela apresenta as feições de Henrique com um realismo impressionante.

Reconstrução facial do rosto do rei Henrique VII, feita por Matt Loughrey.

Prática comum durante a Baixa Idade Média até o século XIX, as máscaras funerárias, ou máscaras mortuárias, eram feitas para registrar as feições do falecido, servindo também de base para a construção de suas efígies tumulares. Muitos personagens famosos da história inglesa, como Mary Stuart, Elizabeth I e Oliver Cromwell tiveram seus rostos gravados em cera. Após a morte, aplicava-se um pouco de óleo ou azeite na pele da face e em seguida ela era coberta com uma fina camada de cera, que então era reforçada por outras à medida em que ia secando. Depois de pronto, o molde era geralmente entregue a um escultor, responsável pela construção do tumba do morto. No funeral de Henrique VII, um molde em terracota de seu rosto desfilou pelas ruas de Londres em cortejo até a Abadia de Westminster, local de sepultamento do monarca. Atualmente, ela pode ser contemplada no museu da Abadia, ao lado de outras máscaras de soberanos ingleses que também estão enterrados ali.

O pai de Henrique VIII provavelmente parecia muito semelhante a esse

Versão do rosto do rei Henrique VII com barbas.

Com base nisso, o artista gráfico Matt Loughrey usou os detalhes da máscara funerária de Henrique VII para fazer uma reconstrução facial do monarca. Loughrey aplicou cores e tons naturais à impressão da face do rei, dando-lhe assim mais vida. Ele usou a fotogrametria, um software que captura imagens bidimensionais e as mapeia em 3D, para posteriormente construir um modelo digital bastante realista. Em suas palavras, “na fotogrametria, podemos ter uma ótima ideia de posicionamento para as coisas mais simples, como maçãs do rosto, órbitas [dos olhos], mandíbula superior”, etc. Depois disso vem o design da iluminação: “se a luz estiver errada ou desequilibrada com a cor ou matiz da carne, você verá erros”, disse o artista. Finalmente, ele adicionou marcas de expressão facial e pelos, que ajustou “usando entrada manual e algoritmos inteligentes”. O trabalho de Matt Loughrey, por sua vez, ficou famoso depois que chamou a atenção de um escritor da National Geographic. Desde então, ele é requisitado por muitos museus e galerias de todo o mundo. 

Aqui você pode ver as etapas da restauração ao lado da máscara mortuária real do rei Henrique VII

As etapas da restauração ao lado da máscara mortuária do rei Henrique VII.

Em entrevista à Live Science, Matt Loughre disse que “todos nós queremos olhar para os rostos e colocar uma história por trás deles”. As duas versões que ele criou para Henrique VII apresentam a face do monarca com barbas e outra sem. Em seus retratos, porém, o rei aparece sempre com o rosto sem pelos. Loughre explicou que “nunca saberemos se ele tinha barba ou não. […] Mas, levando em conta as tendências da época, eu também fiz com barba”. O artista também reparou alguns defeitos na máscara original, tais como um olho direito errante e uma sobrancelha direita mal pintada. Porém, ele os preservou em sua reconstrução final, em parte em reconhecimento aos artistas do passado, em parte porque “dá mais caráter ao rosto”. O projeto levou quase dois meses para ficar concluído e apresenta um resultado incrível. “Através do ângulo de seu olhar, você quase consegue sentir o que ele está pensando”, declarou Matt.

Loughrey também fez essas imagens de Mary Queen of Scotts e Oliver Cromwell

Versões para o rosto de Mary Stuart e Oliver Cromwell.

Além da máscara de Henrique VII, o artista também criou outras reconstruções faciais bastante interessante de figuras históricas, incluindo Oliver Cromwell e a suposta máscara mortuária de Mary Stuart, preservada em Lenoxlove House. Matt Loughre é o fundador do My Colorful Past, um projeto que traz de volta à vida indivíduos famosos do passado. Mais restaurações suas também podem ser vistas na página do Instagram My Colorful Past.

Fontes: THE SUN e EXPLICA – Acesso em 23 de maio de 2020.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s