Documentos inéditos assinados por Mary Stuart revelam como era governar, no século XVI.

Um tesouro de documentos assinados por Mary Stuart, rainha da Escócia, foram descobertos numa instalação de armazenamento do Conselho, na Royal Mile, e revelam a “realidade cotidiana de governar o país”, no século XVI. Tais manuscritos apresentam a monarca decapitada em 1587 “administrando cuidadosamente a movimentada vida comercial de Edimburgo”, bem como autorizando a construção de novas defesas para a cidade em Leith.

Os documentos, que devem ser a peça central de uma nova exposição em Edimburgo sobre o curto reinado de Mary, já foram conservados e digitalizados, para permitir que sejam visualizados publicamente no arquivo online do Conselho. Eles foram descobertos por funcionários em uma loja do Museu de Edimburgo, a poucas centenas de metros do Palácio de Holyroodhouse, onde Mary governou por seis anos depois de voltar da França, em 1561.

Vicky Garrington, curadora do Museu de Edimburgom com as cartas originais de Mary Stuart.

Os 15 documentos, datados, numerados e assinados individualmente, referem-se aos direitos dos diáconos e comerciantes da cidade, à venda de carne em Tolbooth e à fabricação de sal em Newhaven. Os primeiros trabalhos de conservação dos documentos revelaram ainda marcas d’água – uma de uma cabra e outra de uma flor – que só podem ser vistas quando seguradas à luz.

Acredita-se que os documentos foram parar nos arquivos da autoridade local na década de 1920, embora tenham sido “perdidos” antes de serem redescobertos quase um século depois, durante o trabalho de conservação. Curiosamente, alguns desses documentos assinados por Mary datam de quando ela ainda estava na França. Especialistas do serviço de museus e galerias do Conselho, que é responsável pelos arquivos oficiais da cidade, disseram que os documentos descobertos recentemente revelam um aspecto “muitas vezes esquecido” de sua vida.

A curadora de História, Vicky Garrington, disse: “juntos, os documentos lançam luz sobre uma parte fundamental do passado da Escócia. Todos nós conhecemos a trágica história de Mary Stuart, sua vida agitada e eventual execução em 1587, mas nesses papeis vemos um lado diferente de Mary”. “Aqui, ela pode ser vista administrando com cuidado os assuntos cotidianos de Edimburgo, tanto a partir da França quanto na Escócia. É fascinante pensar nela lendo esses documentos oficiais antes de aplicar cuidadosamente sua assinatura”. “Eles estão ficando em um depósito no museu, por enquanto. Mas esperamos que sejam avaliados por um conservador e que mais pesquisas sejam feitas sobre eles por especialistas em Mary Stuart, após o que esperamos exibi-los, o que será extremamente excitante ”.

Frank Little, gerente de museus e galerias, disse: “Estamos constantemente revisando, cuidando e pesquisando nossas coleções, e esperamos compartilhar a mais da rica herança da cidade aos moradores e visitantes por meio de nosso programa de exposições e atividades online”. Donald Wilson, organizador da cultura do Conselho, disse: “Nossos museus e galerias abrigam milhares de tesouros históricos, muitos dos quais estão expostos em nossos locais. No entanto, alguns itens, como esses documentos, são muito frágeis para serem exibidos a longo prazo, portanto, colocá-los online é uma ótima maneira de exibi-los”, disse Frank.

FONTE: THE SCOTSMANAcesso em 12 de março de 2019.

Anúncios

Um comentário sobre “Documentos inéditos assinados por Mary Stuart revelam como era governar, no século XVI.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s