Fascinante: Animação apresenta os governantes de cada região da Europa desde 400 a.C.

A história da Europa, como outros continentes, ao longo dos últimos 2.400 anos pertence a um âmbito geopolítico fascinante e bastante multifacetado, com o equilíbrio de poderes mudando ao longo de períodos de tempo pequenos e grandes. E enquanto esse escopo dinâmico pode ser (até certo ponto) representado objetivamente através das mudanças territoriais dos numerosos impérios e reinos, o lado político da “equação” histórica foi simbolicamente conquistado sob o nome dos governantes, líderes e generais dessas nações. A seguinte linha do tempo animada, criada pela YouTuber Cottereau, apresenta apropriadamente uma série de eventos fascinantes, espelhados pela extensão geográfica em constante mudança, ao mesmo tempo em que está associada a seus poderosos governantes, que vão desde os antigos imperadores romanos até os déspotas iluminados do século 18.

Agora, se passarmos pelo vídeo, podemos compreender facilmente como nenhum poder europeu chegou nem perto da extensão territorial governada pelos imperadores romanos. Para esse fim, de um reino remanescente a uma república próspera para um império mundial dominante, e finalmente de volta ao esquecimento – o âmbito romano incorpora o ciclo da história em toda a sua glória, inovações e desgraças. De fato, a história romana mostra apropriadamente a capacidade multifacetada de determinados seres humanos, variando de coragem à ingenuidade, da crueldade à brutalidade. Evidentemente, além das palavras escritas, um dos parâmetros que sugerem tais triunfos e tribulações relaciona-se às terras e territórios conquistados e administrados pelos romanos. Mas, mais uma vez, esse âmbito objetivo sempre teve a “cobertura” de um verniz político na realidade – e só se podia imaginar a magnitude do poder exercido pelos imperadores e líderes no estágio de ápice do Império Romano.

Por outro lado, alguns séculos após a passagem dos romanos, a história foi testemunha dos conflitos culturais e da confluência dos vários estados europeus. O final do século VIII dC trouxe os engenhosos mouros islâmicos para a Península Ibérica (compreendendo a Espanha e Portugal modernos), enquanto as terras da Europa Ocidental estavam sob o domínio dos carolíngios, que, por ocasião de Carlos Magno, já haviam começado a defender sua religião cristã. As terras da Europa central e oriental estavam sob a influência de várias tribos nativas pagãs e nômades estéreis distantes, enquanto os Bálcãs, Grécia e Anatólia (juntamente com algumas partes da Itália) ainda mantinham o legado romano e a religião ortodoxa oriental, na forma do Império Bizantino (Romano Oriental) – sob o reinado do imperador romano. E curiosamente, paralelamente a este período de tempo, na Rússia européia, podemos ver a síntese dos escandinavos e do povo eslavo localizado, resultando em um fascinante domínio político cujos governantes iam desde senhores da guerra a príncipes mercantes posteriores.

Dados tantos fatores variantes e complexos, deve-se notar que, juntamente com a influência política e a autoridade real, o “poder” dos estados europeus também dependia de sua população e recursos. Felizmente, para os aficionados da história, Cottereau também havia anteriormente feito uma animação temporal (apresentada abaixo) que mostra apropriadamente as mudanças territoriais dos vários reinos europeus junto com sua população.

Traduzido a partir do post original do Realm of History – Acesso em 19 de outubro de 2018.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s