Animações apresentam versões diferentes de como seria a face de Cleópatra, última rainha do Egito!

Por: Renato Drummond Tapioca Neto

Possivelmente uma das rainhas mais famosas da história, Cleópatra VII, última faraó do Egito, permanece como uma figura emblemática para o século XXI. Histórias de uma beleza lendária, que teria enfeitiçado tanto Júlio César quanto Marco Antônio ainda são conhecidas, algo que foi enfatizado por produções cinematográficas, trazendo belas atrizes como Elizabeth Taylor no papel da monarca. Contudo, os bustos e as efígies da rainha em moedas nos mostram uma mulher menos glamorosa do que a mídia nos induz a crer. Sua áurea de femme fatale, de uma soberana bela, sensual e extravagante, foi miticamente criada pela literatura de séculos depois. Considerando que os parâmetros de beleza variaram bastante ao longo da história, então a face de Cleópatra esculpida em pedra pode não representar exatamente aquilo que alguns de nós esperávamos que fosse. Com base nisso, o especialista em reconstrução facial, M.A. Ludwig, fez uma interpretação em photoshop do rosto da monarca, baseado em um busto, comumente aceito como pertencente à última faraó. O resultado pode ser um pouco controverso.

O suposto busto de Cleópatra VII se encontra atualmente exposto no Altes Museum, em Berlim. É importante ressaltar que a presente “reconstrução facial”, assim como outras do gênero, se trata de uma interpretação do rosto da pessoa, uma vez que não se pode afirmar em definitivo que Cleópatra de fato era como o resultado do photoshop a apresenta. Embora essa releitura possa confundir muitos dos admiradores da última faraó, há os registros romanos da aparência da rainha, como os de Cassius Dio e Plutarco, que podem oferecer uma pouco mais de luz a essa questão. Escrevendo cerca de dois séculos após a morte de Cleópatra, Cassius Dio a descreveu como “uma mulher de beleza extraordinária”, que era “brilhante de se ver”. Contudo, na opinião do filósofo e historiador Plutarco, que viveu entre 46 d.C. e 120 d.C., (portanto, mais de 70 anos depois da morte de Cleópatra, embora mais próximo dela do que Cassios Dio), “sua beleza não era algo incomparável, nem para aqueles que a viram pessoalmente”. A opinião de Plutarco encontra suporte nas efígies da rainha que aparecem em algumas moedas de seu tempo, criadas por volta de 31 a.C., quando a monarca tinha por volta de 38 anos . Existem cerca de dez tipos de cunhagens antigas, que mostram a monarca sob uma luz bem mais modesta:

Perfil de Cleópatra VII em moedas antigas.

Perfil de Cleópatra VII em moedas antigas.

Com efeito, nem o relato de Plutarco, muito menos o de Cassius Dio, são contemporâneos. Os perfis nas moedas apresentam a governante à semelhança de um homem, como se poderia supor da representação de uma mulher da idade antiga, ocupando um lugar preferencialmente masculino, Cleópatra pouco ou quase nada apresenta traços uma beldade hollywoodiana, tendo um nariz protuberante e queixo saliente. É preciso ressaltar, contudo, que essas representações da monarca de forma masculinizada estavam estritamente ligadas a uma jogada política para aproximar Cleópatra dos seus antepassados da dinastia Ptolomaica, equiparando seu governo ao deles. Em todo caso, fica a pergunta: de onde surgiram os rumores de uma beleza mítica? É possível que algumas dessas falácias tenham surgido no próprio tempo de vida dela, através de cortesãos e artistas bajuladores, ou mesmo através de seus inimigos. Afinal, Octaviano, mais tarde imperador Augusto César, explorou bastante a lenda de que Cleópatra, com seu charme, teria seduzido Marco Antônio a se mudar para o Egito e a trair sua pátria. Essa face sedutora da rainha fica bastante oculta na releitura apresentada no vídeo acima, como na animação a seguir, também baseado no suposto busto da faraó:

Todavia, se não poderia ser sinceramente louvada por sua beleza, Cleópatra VII foi bastante apreciada por outra série de qualidades que possuía, tais como sua inteligência, que a dotava de um “encanto irresistível”, conforme expressão de Plutarco. A rainha fez largo uso desses dotes intelectuais para convencer e influenciar dois dos homens mais poderosos de seu tempo. De acordo com o professor e especialista em cunhagem grega e romana, Kevin Butcher, da Universidade de Warwick, em artigo para o History Extra:

A negativa reação moderna para o rosto de Cleópatra nos diz mais sobre o nosso amor por histórias do que qualquer outra coisa sobre a mais famosa das rainhas egípcias, que governou de 51 a 30 d.C. Para nós, a realidade dos seus retratos em moeda se choca com um mito muito maior sobre Cleópatra, um mito tão grande que consumiu a pessoa por trás dele.

A última animação apresenta a face de Cleópatra VII em perfil, de forma semelhante à que aparece nas moedas, baseado em outro busto seu. Como nos vídeos anteriores, a monarca aparece sob um aspecto mais modesto, em nada lembrando a mulher extremamente linda e sensual, representada no cinema por Elizabeth Taylor:

Ao se analisar essas releituras da face de Cleópatra, é importante ter em mente que os antigos padrões de beleza eram bastante diferentes dos do mundo ocidental moderno. As representações em escultura de Vênus, divindade do amor e da beleza, por exemplo, mostram uma mulher encorpada e com um nariz proeminente. Uma vez que beleza é uma questão relativa aos olhos da cultura que a contempla, perguntar se Cleópatra era ou não bonita pode ser algo bastante infrutífero. Talvez o que precisamos é abandonar a beleza em seu conceito puramente físico e perceber a questão com outros olhos. Foi dito que Cleópatra tinha uma voz afável e “um conhecimento que a tornava agradável a todos”, conforme descrição de Cassius Dio. Plutarco, por sua vez, disse que ela “tinha um encanto irresistível, e sua presença, combinada com a persuasão de seu discurso e o caráter, que estava de alguma forma difuso sobre seu comportamento para com os outros, tinha algode  estimulante”. Através de sua inteligência, charme e ousadia, Cleópatra cativou a imaginação coletiva de várias gerações futuras. Que uma das mais renomadas beldades da história era mais bela pelo seu intelecto do que pela sua aparência, poderia ser uma lição importante para a nossa fixação moderna pelo aspecto físico.

Fonte da notícia: Realm of History – Acesso em 11 de dezembro de 2016.

Fonte dos vídeos: Jude Maris – Acesso em 11 de dezembro de 2016.

Bibliografia consultada:

MASON, Emma. The face of Cleopatra: was she really beaultiful? – Acesso em 11 de dezembro de 2016.

Was Cleopatra beaultiful? The archaelogical evidence – Acesso em 11 de dezembro de 2016.

Anúncios

6 comentários sobre “Animações apresentam versões diferentes de como seria a face de Cleópatra, última rainha do Egito!

  1. Cleópatra era muito jovem quando conheceu César. Uma mulher excecionalmente inteligente é surpreendente, depois também «sexy». Mas se a isso se juntar «uma ponta» de vulnerabilidade que necessite de proteção, aí temos um «cocktail» potentíssimo. Foi assim que César, o «metrossexual» ditador de Roma, conheceu a jovem. Steve Saylor, com a liberdade dos romancistas que é vedada aos historiadores, apresenta uma hipótese no seu romance «A Sentença de César». Ptolomeu, o irmão, ter-se-á apaixonado por César, e terá desfeito um acordo inicial e atacado o palácio por…ciúmes!

    Curtir

  2. Eu conheci seu site hoje e já estou completamente apaixonada! O universo mágico das rainhas que fascinaram a tantos durante a história sempre foi uma grande paixão minha! Achei os posts de muita qualidade e agradeço por disponibilizar conteúdos tão interessantes e bem organizados e confesso que espero que ainda fales de Nefertiti.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s