Muito além do anel de noivado: a belíssima coleção de joias da princesa Diana – Parte II

Em fevereiro de 1981, quando o noivado do herdeiro da Coroa britânica foi anunciado com Lady Diana Spencer, a jovem noiva chamou a atenção das câmeras com um belíssimo anel de safira, cravejado com vários diamantes. Ao contrair matrimônio, ela recebeu a posse de algumas joias históricas da família real, incluindo a belíssima Lover’s Knot Tiara da rainha Mary, além de várias gargantilhas com fios de pérolas e brincos de diamantes. Até sua morte, a princesa de Gales foi vista com algumas das mais belas peças da arte da joalheria, parte das quais desenhada especialmente para ela. Com seu estilo irreverente, Diana deu um novo significado ao modo como as mulheres da realeza usavam ouro, prata e pedras preciosas. Mais do que meros enfeites escolhidos para destacá-la entre as demais, ela utilizou suas joias em momentos que se tornaram icônicos, especialmente quando queria passar ao público uma mensagem subliminar sobre seu estado emocional. Após o trágico acidente que ceifou sua vida prematuramente aos 36 anos em 1997, a coleção de Lady Di foi imediatamente lacrada no seu cofre pelo mordomo Paul Burrell e em seguida entregue aos herdeiros, seus filhos William e Harry. Atualmente, algumas dessas peças regressaram à luz dos holofotes, usadas por suas noras, Kate Middleton e Meghan Markle.

COLAR DE DIAMANTES E SAFIRAS DO SULTÃO DE OMÃ

A princesa Diana possuía uma incrível coleção de joias engastadas com diamantes e safiras. Desde a escolha do seu famoso anel de noivado, ela foi acumulando ao longo de seus anos como princesa de Gales algumas das mais belas peças da arte da joalheira, montadas com tais pedras preciosas. Em 1986, enquanto fazia uma visita ao Oriente Médio, ela recebeu de presente um belíssimo conjunto de colar, brincos e pulseira, ofertados pelo sultão de Omã, Qaboos (que havia sido educado na Inglaterra e chegou a servir no Exército Britânico). O design singular das joias, bem característico dos anos 1980, apresenta um padrão em formato de lua crescente, inteiramente cravejada de safiras sobre fileiras de diamantes. A princesa de Gales usou as peças pela primeira vez, em combinação com a Tiara Spencer, no mês de novembro de 1987, durante uma viagem ao lado do príncipe Charles à Alemanha. Usando o famoso “Vestido Travolta”, desenhado por Victor Edelstein, ela estava completamente deslumbrante quando compareceu ao Jantar em Bonn. De volta à Inglaterra em dezembro, ela tirou as joias novamente do cofre para assistir a uma performance de “Cinderella”, no Royal Opera House. No ano seguinte, Diana usou o colar durante uma visita à Austrália, para um desfile de moda no Sydney Opera House. Sua última aparição pública com o conjunto, porém, foi em outubro de 1995, na estreia do filme “Haunted”. Desde então, as joias (que ficaram conhecidas como “The Sultan of Oman Sapphire Suite”) nunca mais foram vistas. Os observadores da realeza aguardam pelo momento em que uma das noras da falecida princesa de Gales, Kate ou Meghan, apareça utilizando os belíssimos brilhantes da mãe dos príncipes William e Harry.

BROCHE DO PRINCIPADO DE GALES

Fotografia de Camilla Shand, duquesa da Cornualha, usando um broche que outrora fizera parte de um colar da princesa Diana. A atual esposa do príncipe Charles fez uma aparição com a joia no ano de 2019. Como podemos observar, Camilla reformou a peça, retirando-a de sua corrente. Seu design consiste em três plumas de diamantes (o símbolo do principado de Gales) dentro de uma moldura circular, com uma esmeralda em formato de gota pendente. Foi um presente de casamento da rainha-mãe para a princesa. Diana usou o emblema em volta do pescoço em inúmeras ocasiões, como no Burgh Teatro de Viena, em abril de 1986, (ver foto). Após sua morte, em 1997, a joia retornou para a Coroa, diferentemente de outras peças de valor que pertencera à mãe dos príncipes William e Harry, uma vez que o broche pertencia ao principado de Gales. Camilla, por sua vez, recebeu muitos comentários negativos de internautas ao aparecer em público com uma joia de Diana. “Péssimo gosto”, disseram alguns, enquanto outros perguntam se ela “não tinha vergonha”. Desde então, ela nunca mais foi vista usando qualquer objeto associado à falecida princesa de Gales.

BROCHE COM “D” DE DIANA

A princesa de Gales fotografada por Tim Graham durante a Turnê Real de 1985 pela Austrália, usando um colar com um “D” de Diana, em ouro. A consorte do príncipe Charles fez frequentes aparições com a joia antes de entrar para a família real e continuou a usá-la depois disso. Afinal, um pingente com o formato da inicial do próprio nome pode ser um interpretado como um gesto de autoafirmação de sua identidade. Não à toa, em meados da década de 1980 a estrela de Diana estava atingindo seu ápice, ofuscando até mesmo seu marido, cujos modos e gestos não se identificavam com as camadas populares que tanto adoravam (e adoram) a princesa. O pingente, por sua vez, nos remete ao famoso retrato póstumo da rainha Ana Bolena (de cuja irmã, Maria, Diana descende), exposto na National Portrait Gallery de Londres, no qual ela usa um “B” de ouro com três pérolas pendentes em formato de gota. A letra faz referência à família da segunda esposa do rei Henrique VIII. Embora alguns historiadores da arte acreditem que a joia possa ser uma invenção dos pintores do final do século XVI (assim como a própria imagem da retratada), o pingente com o “B” de Bolena acabou se tornando uma marca registrada da soberana, fazendo com que seus retratos sejam facilmente reconhecidos em qualquer lugar. Atualmente, réplicas do colar de Ana Bolena podem ser encontradas para venda em muitas lojas, inclusive adaptadas com a inicial do nome do/a comprador/a. Já o pingente com o “D” de Diana, nunca mais foi visto desde sua morte, em 1997. Especula-se que esteja em posse de um de seus filhos, William ou Harry. Curiosamente, em 2017, outra joia confeccionada em prata esterlina com a inicial da princesa, que pertencia a ela quando adolescente, foi vendida num leilão por cerca de US$ 8.000.

BRINCOS DE OURO EM FORMATO DE FOLHA

A princesa Diana possuía muitos brincos de ouro, com design mais simples do que as joias mais opulentas que ela costuma utilizar quando em eventos oficiais da Coroa, a exemplo dos conjuntos de diamantes e safiras que tanto caracterizaram sua aparência nos anos 1980. Uma dessas joias mais simples (porém, não simplórias), consiste em um par de brincos que a primeira esposa do príncipe Chales usou no verão de 1987, em Mallorca. Os brincos possuem um desenho de duas folhas de flores sobrepostas (a menor sobre a maior), que acabaram sendo herdados pelo príncipe William. O atual duque de Cambridge legou a posse das joias para sua esposa, Kate Middleton, que foi fotografada usando as duas peças de uma forma uma pouco diferente daquela que Diana costumava utilizar, com a folha menor suspensa.

BRINCOS DE DIAMANTES E PÉROLAS

Kate Middleton, duquesa de Cambridge, acabou herdando a maioria das joias anteriormente usadas pela falecida princesa de Gales. Não apenas o famoso anel de noivado de safira e diamantes, como também esse belíssimo par de brincos que a mãe do príncipe William usou em vários eventos, com destaque para a ocasião em que ela recebeu o Prêmio Humanitário do Ano pela United Cerebral Palsy Foundation, em 1995. As joias originalmente apresentavam duas pérolas do Mar do Sul, pendendo de uma armação de ouro branco cravejada com diamantes. Assim como muitas das joias de Diana, o design dos brincos se destaca pela sua versatilidade, podendo algumas de suas partes serem removidas de acordo com o gosto da usuária. Ao que parece, a duquesa substituiu as pérolas que vemos na imagem à esquerda por outras duas em formato de gota, que também pertenciam à coleção de sua sogra. Kate fez uma aparição triunfal com as peças no domingo, dia 10 de fevereiro de 2019, na premiação BAFTA de cinema, usando um belíssimo vestido branco de inverno com apenas uma alça decorada com flores de tecido, da grife Alexander McQueen (a mesma responsável pelo seu vestido de noiva).

ANEL DE ÁGUA MARINHA

Anel engastado com uma pedra de água-marinha, que pertenceu à falecida princesa Diana de Gales. Ela passou a usá-lo em 1996, após a oficialização de seu divórcio do príncipe Charles, em substituição ao famoso anel de noivado de 1981, cravejado com uma safira cortada em formato oval, circundada por diamantes menores. A nova joia, por sua vez, deveria marcar o início de outra etapa na vida da princesa, que buscava se desassociar da imagem de esposa do herdeiro do trono. Após o trágico acidente que ceifou a vida de Lady Di aos 36 anos, suas joias foram igualmente divididas entre seus dois filhos. A princípio, Harry havia requisitado de seu pai a posse do anel de noivado, que lhe foi concedido. Mas, quando William decidiu pedir Kate Middleton em casamento em 2010, os irmãos fizeram uma permuta do espólio de sua mãe. Harry deu o anel de safira ao mais velho, em troca de um relógio que havia pertencido à Diana. Com efeito, quando chegou a vez do próprio casamento do príncipe Harry, em 2019, sua esposa, Meghan Markle, foi fotografada ao final da cerimônia usando o belíssimo anel de água-marinha, que por cerca de um ano representou um novo começo para a princesa Diana, não mais como membro da realeza.

COLAR DO LAGO DOS CISNES

Colar que a princesa Diana usou em uma de suas últimas aparições públicas, para assistir “O Lago dos Cisnes”, no Royal Albert Hall, em 3 de junho de 1997. A peça, que faz conjunto com um par de brincos, foi confeccionada pela joalheira Garrard (responsável por muitas das joias da Coroa) em parceria com a própria Diana. O colar é composto por diamantes sobre platina e pérolas do Mar do Sul. A joia ficou conhecida como “Swan Lake Suite”, por estar associada a um dos últimos momentos da princesa de Gales sob a luz dos holofotes, antes do trágico acidente que ceifou sua vida no dia 31 de agosto daquele ano. Todavia, o item não fazia parte da coleção particular da princesa. Embora tivesse ajudado na confecção do design do colar, Diana faleceu antes que pudesse comprá-lo. Seis meses depois de sua morte, a joia foi vendida para um comprador anônimo. Segundo se diz, a esposa dele nunca chegou a usar a peça, devido à sua conexão com as últimas semanas de vida de Lady Di. Assim sendo, o colar (e os brincos que o acompanham) chegou a ser vendido em três ocasiões. Ele foi leiloado pela última vez em 2017, por preço estimado em 12 milhões de dólares.

Referências Bibliográficas:

BROWN, Tina. Diana: crônicas íntimas. Tradução de Iva Sofia Gonçalves e Maria Inês Duque Estrada. Rio de Janeiro: Ediouro, 2007.

FINCHER, Jayne. Diana: retrato de uma princesa. Tradução de Carla de Sousa. Lisboa: Callaway, 1998.

MARR, Andrew. A real Elizabeth: uma visão inteligente e intimista de uma monarca em pleno século 21. Tradução de Elisa Duarte Teixeira. São Paulo: Editora Europa, 2012.

MEYER-STABLEY, Bertrand. Isabel II: a família real no palácio de Buckingham. Tradução de Pedro Bernardo e Ruy Oliveira. Lisboa, Portugal: Edições 70, 2002

KELLEY, Kitty. Os Windsor: radiografia da família real britânica. Tradução de Lina Marques et. al. Sintra, Portugal: Editorial Inquérito, 1997.

MORTON, Andrew: Diana – sua verdadeira história em suas próprias palavras. Tradução de A. B. Pinheiros de Lemos e Lourdes Sette. 2ª ed. Rio de Janeiro: Best Seller, 2013.

Sites:

The Court Jeweller – Acesso em 07 de agosto de 2022.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s