10 palácios e castelos da Europa para se conhecer antes de morrer!

Parte importante do patrimônio arquitetônico da Europa, palácios e castelos fazem hoje parte do imaginário popular sobre um passado remoto, habitado por cavaleiros, damas, príncipes, reis e rainhas. As novelas de cavalaria, os filmes e seriados ajudaram a construir esse imaginário repleto de trovas e canções, que louvavam os feitos de grandes pessoas. Atualmente, essas estruturas refletem o notável progresso da civilização ao longo do anos, não só pela tecnologia utilizada na sua construção, como também pela concepção artística aplicada em sua decoração. Abaixo, selecionamos os 10 castelos e palácios mais belos da Europa para se conhecer um dia.

10) CASTELO DE WINDSOR

Windsor é o maior e mais antigo castelo do mundo que ainda continua a ser habitado. Foi o lar de reis e rainhas britânicas por quase 1.000 anos. É uma das residências oficiais de Sua Majestade a Rainha, que passa a maior parte de seus fins de semana privados aqui. O estandarte da rainha aparece Torre Redonda quando ela está nessa residência. Windsor ainda é um lugar de trabalho para a monarquia. O castelo é usado regularmente para ocasiões cerimoniais e estatais. É aqui que a rainha hospeda frequentemente monarcas e presidentes estrangeiros em visita de Estado. O Salão de São Jorge faz um cenário espetacular para um banquete estatal, onde numa única mesa, que se estende ao longo do corredor, decorada com porcelana e prata-dourada da Royal Collection, se sentam 160 pessoas.

9) CHENOCEAU, VALE DO LOIRE (FRANÇA)

Propriedade da Coroa e utilizado como residência real, o Castelo de Chenonceau Castle é um lugar excepcional, não só por causa do seu design deslumbrante (abrangendo o rio Cher) e a riqueza de suas decorações, como também por sua biografia, já que foi uma residência amada, administrada e protegida por algumas das mulheres mais extraordinárias da França, que marcaram a história do país. O “Château des Dames” foi construído em 1513 por Katherine Briçonnet e sucessivamente embelezado por Diane de Poitiers, depois por Catarina de Médici, e permaneceu protegido dos tumultos da Revolução Francesa por Madame Dupin. O punho de ferro feminino sempre preservou Chenonceau em tempos de conflito e guerra, a fim de torná-lo para sempre um lugar de paz e inspiração.

8) SANSSOUCI, POTSDAM (ALEMANHA)

Nenhum outro palácio está tão ligado à personalidade de Frederico o Grande, Rei da Prússia, como o Palácio Sanssouci em Potsdam, perto de Berlim. O nome Sanssouci – uma frase francesa que se traduz como “sem preocupações” – deve ser entendido como um desejo do rei, porque esta residência de verão foi seu refúgio em tempos difíceis. Sanssouci é muitas vezes considerado o equivalente alemão de Versalhes, embora tenha características mais íntimas do estilo rococó e seja muito menor do que o homólogo barroco francês. A localização do castelo, seus famosos jardins em terraços e o esplendor elegante de seus interiores, demonstram o amor do rei Frederico pelos seus belos arredores, a “Arcádia Prussiana”, como chamam os turistas do século XXI.

7) PALÁCIO DE SCHÖNBRUNN, VIENA (ÁUSTRIA)

O Palácio de Schönbrunn constitui-se em Patrimônio Cultural Mundial, além de ser um dos lugares mais visitados da Áustria. No final do século XVII, o Imperador Leopoldo encomendou ao talentoso arquiteto Bernhard Fischer von Erlach a construção de uma residência para caça, destinada ao herdeiro do trono. Meio século depois, no reinado de Maria Tereza, Schönbrunn se tornou o centro da vida na corte. A partir desse momento, ele foi local de hospedagem dos principais estadistas da Europa. Embora a Áustria seja agora uma república, Schönbrunn permaneceu como um lugar de encontro político do mais alto nível, já que a arquitetura magnífica do palácio barroco e a decoração requintada de seus quartos foram, em grande parte, preservadas na sua condição original. Foi nesse palácio onde nasceram a rainha Maria Antonieta da França (1755-1793) e a imperatriz Leopoldina do Brasil (1797-1826).

6) PALÁCIO DOS PAPAS, AVIGNON (FRANÇA)

Tanto fortaleza quanto palácio, a residência papal foi a sede do cristianismo ocidental durante o século XIV. A construção foi iniciada em 1335 e completada em menos de vinte anos, sob a liderança de dois papas construtores, Bento XII e seu sucessor, Clemente VI. O Palácio dos Papas é o maior palácio gótico de toda a Europa (15.000 m² ou 160.000 pés quadrados de espaço, o equivalente a 4 catedrais góticas). Seis conclaves papais foram realizados no Palais, antes que os papas retornassem a Roma em 1377. Nos séculos seguintes, o palácio funcionava como residência de forças estatais, quartéis militares, além de prisão. Hoje em dia, mais de 600 mil turistas por ano admiram as câmaras privadas do papa e os afrescos pintados pelo artista italiano Matteo Giovannetti.

5) PALÁCIO DE NEUSCHWANSTEIN, SCHWANGAU (ALEMANHA)

Sete semanas após a morte do rei Ludovico II, em 1886, Neuschwanstein foi aberto ao público. O tímido rei construiu o castelo para se retirar da vida pública. Hoje Neuschwanstein é um dos mais populares de todos os palácios e castelos da Europa, com 1,4 milhões de pessoas por ano visitando “o castelo de conto de fadas do rei”. No verão, cerca de 6.000 visitantes por dia passaram por salas que antes se destinavam a abrigar um único habitante. O cenário de Neuschwanstein não poderia ser mais idílico. No entanto, o movimento na área de fundação deve ser monitorado continuamente, já que as paredes de rocha escarpadas devem ser guarnecidas repetidamente. O clima severo também tem um efeito prejudicial sobre as fachadas de pedra calcária, que terão de ser renovadas nos próximos anos.

4) PALÁCIO DE INVERNO, ST PETERSBURGO (RÚSSIA)

O Palácio de Inverno em São Petersburgo foi a residência oficial da Família Imperial Russa até a Revolução de 1917. O palácio em verde e branco foi construído em 1732, mas melhorias e contínuas e revisões foram feitas nos séculos XVIII e XIX. Em 1837, um disparo de fogo destruiu quase todos os interiores do palácio, mas a reconstrução foi completada no prazo de um ano. O palácio foi construído em uma escala monumental, que pretendia refletir o poder da Rússia imperial. Do palácio, o czar governou mais de 22.400.000 quilômetros quadrados (cerca de 1/6 das terras terrestres da Terra) e mais de 125 milhões de súditos até o final do século XIX. Hoje, o Palácio de Inverno abriga o mundialmente famoso Museu Hermitage.

3) VERSALHES (FRANÇA)

Versalhes, que faz parte da Lista do Patrimônio Mundial da UNESCO há 30 anos, é uma das construções mais bonitas da arquitetura francesa do século XVII. A estrutura, localizada a cerca de 20 quilômetros (12 milhas) a sudoeste de Paris, começou como um alojamento de caça de Luís XIII, antes de seu filho, Luis XIV (conhecido como o Rei Sol), transforma-lo e expandi-lo, movendo a corte e o governo da França para Versalhes em 1682. Cada um dos três reis franceses que viveram lá adicionou melhorias para torná-lo mais bonito. O palácio perdeu sua posição como centro oficial do poder durante a Revolução Francesa, em 1789. No entanto, ainda hoje tem funcionalidade políticas, já que chefes de estado são levados ao deslumbre na Sala dos Espelhos, e os políticos franceses se reúnem no congresso aqui para revisar ou modificar a Constituição francesa.

2) CHAMBORD, VALE DO LOIRE (FRANÇA)

O mapa do Vale do Loire, na França, é pontilhado por centenas de castelos elegantes, mas, sem dúvidas. Chambord é o maior e o mais famoso de todos. A estrutura de Chambord é uma mistura cuidadosamente equilibrada de elementos tradicionais da arquitetura francesa medieval e de outros elementos emprestados do Renascimento italiano. Com sua dupla inspiração, o castelo foi o local perfeito para se cantar louvores ao rei Francisco I da França, que comandou sua construção (que nunca foi completada). O gênio por trás da obra-prima de Francisco I permanece um mistério. Enquanto alguns afirmam de que é uma criação puramente francesa, outros atribuem ao gênio multi-talentoso Leonardo da Vinci.

1) ALHAMBRA, GRANADA (ESPANHA)

Presente na lista do Patrimônio Mundial da UNESCO e localizado na cidade andaluza de Granada, Alhambra é uma das principais atrações turísticas de Espanha. O emotivo e sensual palácio mourisco e seu cenário deslumbrante em um planalto elevado acima do bairro cigano de Albaicín, com os picos nevados das montanhas da Serra Nevada e um magnífico pano de fundo, inspirou muitas músicas e histórias. Do século XIII ao século XIV, Alhambra foi o lar dos sultões, altos funcionários do governo, servos da corte e soldados de elite. Apresentando uma mistura única de arquitetura islâmica e cristã, é composta por uma área defensiva, a Alcazaba, os Palácios Nasrid e os Jardins do Generalife.

FONTE: The Luxury Travel Expert – Acesso em 07 de março de 2018.

Anúncios

4 comentários sobre “10 palácios e castelos da Europa para se conhecer antes de morrer!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s