Do P&B ao colorido: artista russa dá nova roupagem às fotos de Nicolau Romanov e sua família.

Por: Renato Drummond Tapioca Neto

Antes de serem movidos para a casa Ipatiev (Ekaterimburgo), em abril de 1918, o czar deposto Nicolau II e sua família deixaram nos porões da casa do Governador, em Tobolsk, vários álbuns de fotografias. Boa parte dessas imagens só se tornou conhecida após a derrubada do regime comunista na Rússia e a consequente liberação dos arquivos refentes à família. Graças à tecnologia e às artes visuais moderna, foi possível devolver brilho e cor àquelas fotos, deixando-as próximas de como os fotografados realmente se pareciam no momento em que posavam para as câmeras. Abaixo, confira uma seleção dessas imagens, digitalmente colorizadas pela artista russa Olga Shirnina, também conhecida como “klimbim”. O trabalho dela vai impressionar você!

Créditos na imagem

A imagem acima foi tirada em 1914, ano em que estourou a Primeira Guerra Mundial. Nela está reunida toda a família: as grã-duquesas Maria, Tatiana e Olga, ao fundo. No centro estão a czarina Alexandra e o czar Nicolau. Sentado no chão, entre os pais, o czarevich Alexei e à direita, apoiada numa cadeira, a grã-duquesa Anastásia, filha mais nova do casal de imperiais.

Créditos na imagem

Alexandra Feodorovna e suas quatro filhas. A czarina supervisionava diariamente a educação das garotas, que ocupavam quartos próximos ao seu no Palácio Alexandre, em Tsarkoe Selo. As duas mais velhas, Olga e Tatiana, dividiam o mesmo dormitório, conhecido como “O Par das Grandes”, enquanto as mais novas, Maria e Anastásia, ocupavam o “Par das Pequenas”. A czarina possuía uma máquina fotográfica que usava regularmente para registrar os momentos da família. Mais tarde, esse instrumento foi confiscado pelos bolcheviques e utilizado para fotografar o cenário da execução da família imperial, em 17 de julho de 1918.

Créditos na imagem

Nicolau II da Rússia reinou de 1 de novembro de 1894 até sua abdicação, em 2 de março de 1917. Seu governo foi marcado por uma forte instabilidade econômica, que abriu terreno para a Revolução. Nessa foto, o czar assume uma postura mais séria, já que este retrato possuía uma caráter oficial. Porém, em casa, com a família, ou no convívio com os amigos, Nicolau era mais descontraído e despojado. A função de imperador era algo que não deseja para si.

Créditos na imagem

Nesta fotografia do czar Nicolau II o vemos mais descontraído, vestindo um uniforme de cossaco, um dos preferidos do imperador, que o usava diariamente. A  paixão em fotografar e se deixar ser fotografado era algo que ele compartilhava com seus filhos. Uma das atividades favoritas do czar em família era supervisionar a colagem de fotos nos álbuns que suas filhas faziam, quando não estavam ocupadas com outras atividades. Os Romanov deixaram milhares de fotografias, que hoje estão espalhadas por Museus e arquivos europeus.

Arte de Olga Shirina

A jovem czarina Alexandra Feodorovna. Batizada Vitória Alice Helena Luísa Beatriz de Hesse, era neta da rainha Vitória I do Reino Unido e passou boa parte da infância sob os cuidados da avó. Chamada pelos mais próximos de Alix ou Sunny, ela e Nicolau se conheceram em 1884, por ocasião do casamento da irmã de Alix, Elizabeth (Ella) com o grão-duque Sérgio Alexandrovich. Na ocasião, ela dia 12 ano e ele 16. A princesa deixou uma forte impressão em Nicolau que, 5 anos mais tarde, quando a jovem visitou sua irmã na Rússia, passou a demonstrar o desejo de se casar com ela.  Nos diários do Romanov, estão escritas páginas e mais áginas ressaltando a beleza de Alix e o quanto ele a amava.

empress_alexandra_feodorovna_by_klimbims-d641lne

Arte de Olga Shirina

Quando criança, Alix foi descrita por sua avó, Vitória, como a menina mais bela que já tinha visto. Tornou-se uma mulher alta, esbelta e com uma basta cabeleira loira-acobreada. Os pais de Nicolau, Alexandre III e Maria Feodorovna eram contra a união do herdeiro com uma princesa alemã. Porém, um dos maiores impedimentos para a realização do casamento deveu-se à própria Alix, que não queria trocar de religião, abandonar o luteranismo e se converter à ortodoxia. Foi preciso muito diálogo e mais alguns meses de espera até que a princesa se decidiu em se tornar noiva do czarevich. O casamento ocorreu em 1894, poucos dias depois da morte de Alexandre III. Muitos interpretaram isso como um mal sinal para o futuro do casal e da nação.

Créditos na imagem

A grã-duquesa Maria Nikolaevna Romanov, quando criança, em 1906. Foi a terceira filha do casal de imperadores e considerada por muitos como a mais bonita entre suas irmãs. Quando jovem, era uma moça romântica e vivia imaginando como seria seu casamento. Não viveu o suficiente para descobrir.

Créditos na imagem

Tatiana e Olga, as filhas mais velhas do casal de imperadores. Olga foi descrita como uma mulher bastante inteligente, ao mesmo tempo em que delicada e afetuosa. Enquanto era mais apegada ao pai, Tatiana era mais ligada à mãe. A segunda filha de Nicolau e Alexandra possuía um senso de autoridade e constantemente reclamava com seus irmãos mais novos, quando faziam algo de errado. Diz-se que até mesmo Olga se submetia à irmã.

Créditos na imagem

As grã-duquesas Olga, Tatiana, Maria e Anstásia, em 1914. Sabe-se que as princesas eram muito unidas e costumavam assinar conjuntamente em cartas com a sigla “OTMA”, composta pelas inciais do noma de cada uma.

17279462801_2eedd4c7f5_b

Créditos na imagem

As filhas mais jovens de Nick e Alix, Maria e Anatásia. Até hoje persiste a dúvida de qual das princesas pertenceriam os ossos encontrados numa cova separada em Ekaterimburgo, juntos ao do czarevich Alexei, em 2007. Anastásia se tornou a filha mais famosa de Nicolau, graças às inúmeras lendas de que ela teria sobrevivido ao massacre que dizimou sua família, hipótese essa sustentada pelas inúmeras impostoras que alegavam ser a filha do último czar. Em 1997, a 20th Century Fox lançou a animação “Anastásia”, que endossava essa possibilidade de sobrevivência. A descoberta dos remanescentes humanos, porém, comprovou que ela de fato morreu na madrugada de 17 de julho de 1918.

Créditos na imagem

Grã-duquesa Xenia Alexandrovna, irmã do czar Nicolau, usando uma fantasia para o grande baile oferecido pela família imperial em 1903. Xenia era uma das tias preferidas das Grã-duquesas.

20-1

Arte de Olga Shirina

Alexandra Feodorovna e suas filhas Olga e Tatiana, vestidas de enfermeiras. Quando a Rússia entrou na Primeira Grande Guerra, a czarina e suas filhas prestaram atendimento aos feridos em combate. A imperatriz era uma mulher profundamente religiosa. O trabalho de Olga Shirnina com as fotos da última família teve grande repercussão nas redes sociais, em em sites e blogs da rede. A artista conseguiu dar um novo visual às fotos em preto em branco, deixando aos olhos do apreciador uma nova perspectiva do passado da família imperial.

Créditos na imagem

Grã-duquesa Ella (Elizabeth), irmã da czarina Alexandra. Após a morte do marido, Sérgio, em 1905, ela entrou para uma ordem religiosa, conforme podemos observar a partir dos hábitos usados pela fotografada na foto. Foi assassinada um dia após sua irmã, em 18 de julho de 1918, tendo sido canonizada pela Igreja Ortodoxa décadas mais tarde.

Fonte:

Russia Beyond The Headlines

Anúncios

9 comentários sobre “Do P&B ao colorido: artista russa dá nova roupagem às fotos de Nicolau Romanov e sua família.

  1. A minha família real favorita, com certeza! Images maravilhosas!
    Quero elogiar o blog que, além de trazer temas sensacionais, se preocupa tanto com o conteúdo. É o meu blog favorito, de fato. Parabéns! ❤

    Curtir

  2. é muito bacana ver a recuperação de fotos assim. adoro ver e saber que o passado foi tão colorido quanto o presente (ainda que o futuro tenha o risco de se tornar preto e branco, ou cinza). Mas e o luxo que esse povo viveu? Ricos demais (não ha mal em ser rico, desde que se trabalhe, hehehe, viver de rendas do povo é meio complexo) realmente foi surpreendente a riqueza desse povo e deu margem, justa ou não, para a revolução bolchevique, perderam tudo e as vidas. Agora, a nota pesada sobre essas fotos é o Rasputin, aquele filósofo russo místico. comeu todas as mulheres da familia real russa, todas as branquinhas ai da foto se deitaram com esse mago, que as hipnotizou. comedor. brasileiro mesmo o bicho!

    Curtir

    • David, Rasputin nunca se deitou com a czarina ou qualquer uma de suas filhas. Isso é um boato sujo, assim como outros, inventado pelos próprios bolcheviques.

      Curtir

  3. Viajo na história dessa familia imperial. Sem contar que eram todos muito bonitos. O Czar era um espetáculo, olhos misteriosos e perfeitos,faria muito sucesso se vivesse nos dias atuais!

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s