“Um mal necessário”: as prostitutas e seus clientes no Rio de Janeiro imperial!

Por: Renato Drummond Tapioca Neto Ao longo da segunda metade do século XIX, período marcado pela transição conflituosa do trabalho escravo para o assalariado, a prostituição no Brasil foi tolerada pelas autoridades públicas como um “mal necessário”, a despeito da perseguição policial e sanitária que foi feita a essa prática. Esse jogo de ambiguidades, que…

O vício é masculino: virilidade e prostituição no Segundo Reinado (1850-1870)

Por: Renato Drummond Tapioca Neto O seguinte texto busca compreender o papel da prostituição na construção do masculino, problematizando a figura do cliente como principal responsável pela manutenção e propagação do meretrício no Brasil, durante a segunda metade do século XIX. A despeito do discurso moralista, que responsabiliza a mulher pelo que Michel Foucault classifica…